]

Conheça 7 maneiras de trabalhar como motorista

Todas as mudanças no mercado de trabalho, desde as novidades nas relações entre patrões e empregados até a chegada de formas mais flexíveis de ganhar dinheiro, têm favorecido uma profissão, em especial. Trabalhar como motorista é, cada vez mais, uma possibilidade que vem sendo enxergada por homens e mulheres em busca de crescimento e aumento dos ganhos.

Não é pra menos: essa é uma profissão cheia de vantagens. Fora isso, há um leque de oportunidades de atuação nesse segmento. Se optar por trabalhar como motorista, você pode ser autônomo, usar aplicativos de mobilidade, abrir empresa de transporte executivo ou escolar, cair na estrada como caminhoneiro, dirigir ônibus municipais ou intermunicipais, entre outras opções.

Neste artigo, vamos mostrar quais são essas possibilidades de trabalho, como ser motorista, quais as vantagens e que tipo de habilidades e capacitações você deve ter nessa profissão. Continue lendo e decida como será a sua vida no volante!

As vantagens de trabalhar como motorista

Como dissemos, há uma lista de benefícios que a profissão proporciona a quem tem escolhido trabalhar como motorista. Mas a principal vantagem, em especial se você vai atuar como autônomo, é a flexibilidade dos horários. Com ela, vem outro ganho: a possibilidade de receber mais ou menos, de acordo com o quanto trabalha.

Isso mesmo: como motorista, você pode tanto trabalhar em tempo integral, planejando quanto tempo rodará pra receber o que determinou como meta no fim do mês, quanto usar a profissão pra obter uma renda extra. Os aplicativos pra motoristas têm cumprido um ótimo papel no auxílio às pessoas que escolhem essa alternativa.

Se analisarmos bem, dá pra enxergar uma série de outras vantagens: com liberdade de escolha dos horários de trabalho, você pode correr atrás de realizar mais sonhos, como aquele curso que nunca teve tempo de fazer, aquelas horinhas a mais em casa com a família, a participação em eventos que antes não cabiam na agenda, entre outras.

A necessidade de capacitação pra exercer a função

Por melhor motorista que você já seja na hora do lazer ou no dia a dia, atuar nas ruas profissionalmente exige certas qualidades, técnicas e conhecimentos que vão ser mais bem adquiridos se você fizer uma capacitação profissional. Além disso, saiba que essa é uma exigência das empresas do segmento e você vai precisar de treinamento mesmo se optar por trabalhar por conta própria, usando um ou mais aplicativos pra motoristas.

Cada categoria tem suas especificidades. Portanto, é preciso buscar informações sobre cada uma delas na hora de escolher quais os cursos que serão feitos. O Código de Trânsito Brasileiro também determina categorias distintas de habilitação para os motoristas profissionais. Então, sua carteira de habilitação terá de ser atualizada, de acordo com a função que você escolher seguir.

Fora as capacitações profissionais, é importante que você faça uma análise de autoconhecimento: será que tem o perfil pra ser motorista? Afinal, trabalhar nas ruas ou na estrada tem as vantagens de conhecer lugares e pessoas novas, além de livrar você de uma rotina entediante. Mas no volante também há imprevistos, congestionamentos e situações estressantes.

Pra lidar com elas, é preciso ser flexível, cordial, ter paciência e aprender técnicas de bom atendimento!

A diversidade de atuação do profissional no mercado

Nos últimos anos, temos ouvido muito falar no trabalho como motorista por causa da chegada dos aplicativos de mobilidade ao país, que deram visibilidade ao assunto. Ponto pra essas empresas, que além de abrirem novas oportunidades no mercado, ainda ajudaram a valorizar a atuação desses profissionais.

Mas, na hora de escolher o que você vai fazer como motorista, saiba que, além dos aplicativos, há diversas outras opções e campos de trabalho. Entre elas, destacam-se os taxistas, caminhoneiros, motoristas de ônibus municipais ou intermunicipais, fretados, corporativos — contratados ou não — etc.

Optar por um desses caminhos depende muito dos seus objetivos, das suas habilidades e de capacitações que devem ser feitas, dependendo da área de atuação.

As 7 opções de trabalho que podem ser conquistadas

Está decidido a ser motorista, mas ainda na dúvida de que tipo de trabalho fará no volante? Separamos sete opções de trabalho como motorista com as informações que você precisa pra tomar a sua decisão. Aproveite!

1. Motorista particular de aplicativos

Como dissemos, os aplicativos pra motoristas chegaram ao Brasil pra valorizar a profissão, oferecendo qualidade no atendimento ao cliente e ajudando o profissional a atuar com mais segurança, agilidade e conforto pros passageiros. Entre todas as opções de atuação, trabalhar como motorista particular de aplicativos é, provavelmente, a escolha que dá mais possibilidades de flexibilidade nos horários e nos ganhos.

Há diversos aplicativos no mercado, cada um com suas vantagens e tipos de operação. O melhor de tudo é que nenhum deles exige exclusividade. Então, você pode usar vários ao mesmo tempo, de acordo com o benefício específico na data, lugar e hora em que estiver trabalhando. Diferentemente dos taxistas, os motoristas particulares de aplicativos não precisam de licença da prefeitura de seus municípios pra atuar.

Você pode tanto trabalhar em tempo integral como motorista quanto atuar nas horas vagas pra complementar a sua renda, mantendo-se em seu emprego atual. Uma coisa é certa: sua renda vai aumentar consideravelmente.

O processo costuma ser simples pra fazer o cadastro nos aplicativos. Em geral, o primeiro contato é pela internet. Em alguns casos, os candidatos devem fazer testes de comportamento, psicotécnico e até treinamentos.

A Uber é uma das únicas empresas de aplicativos de mobilidade urbana que não exigem capacitação — e acaba perdendo pontos por isso. Pra atuar com ela, é preciso somente cadastro online, carteira de habilitação profissional, documentos do carro e antecedentes criminais. Com isso tudo aprovado, é só baixar o aplicativo e esperar o primeiro cliente chamar.

A 99 e a Cabify são mais cuidadosas no processo de escolha dos motoristas que vão trabalhar pra elas. Além dos documentos exigidos, as duas empresas exigem a participação do candidato em um curso de capacitação. A 99 também vai fazer uma entrevista por telefone antes da aprovação do cadastro.

2. Taxista

Você pode até pensar que ser motorista de táxi não é mais vantajoso depois da chegada dos aplicativos pra motoristas. Mas está enganado! Saiba que os taxistas também têm cada vez mais opções de aplicativos voltados pra eles, que estão dando mais segurança e agilidade pra o trabalho deles, aumentando a clientela e ajudando na concorrência saudável nas ruas das cidades brasileiras.

Como os aplicativos pra taxistas também preveem avaliação dos usuários após a corrida, carros, motoristas e atendimento tendem a ser cada vez melhores. Afinal, se oferecer um bom serviço, certamente o motorista vai ganhar a preferência do passageiro.

Da mesma forma que o motorista particular, o taxista pode ser seu próprio patrão, escolher seus horários de trabalho, sua jornada diária e quanto quer ganhar por mês. Ou seja: nada de rotina por aqui, também!

Uma das vantagens de ter o carro identificado, como ocorre com os taxistas, é a segurança. Todos os veículos têm identificação e registro na prefeitura da cidade onde são licenciados. Além disso, há regulamentação da profissão e do serviço, além de fiscalização específica. Tudo isso dá mais segurança ao trabalho do taxista.

Outro benefício que só os motoristas de táxi têm é a possibilidade de circular pelas faixas exclusivas pra ônibus, que a maioria das capitais e grandes cidades já implantou. Então, quem precisa ser atendido com mais rapidez deve optar pelo táxi.

Pra ser taxista, o caminho não é tão fácil quanto o de motorista particular de aplicativos. Você precisa procurar a prefeitura do seu município pra descobrir como poderá obter uma licença pra atuar na cidade. Também serão exigidos documentos pessoais, habilitação profissional, treinamentos e antecedentes criminais.

Com a documentação da prefeitura em mãos, você pode identificar seu carro (que pode ser seu ou alugado) e pegar seu primeiro passageiro.

3. Motorista corporativo contratado

As dicas que demos até agora têm a ver com pessoas que querem trabalhar por conta própria, sem patrão. Mas tem gente que prefere ser contratado por empresas, ter rotina, horários e tarefas determinadas por um chefe. E isso não é nenhum demérito. Aliar a vontade de trabalhar como motorista com um emprego fixo também é possível.

Você pode, por exemplo, montar um currículo e procurar trabalho em empresas como motorista corporativo. Nesse caso, prepare-se para as exigências que a formalidade apresenta. Serão feitas entrevistas, provavelmente serão pedidas referências e você terá de seguir as regras da companhia. Além disso, certamente haverá capacitações específicas, dependendo do tipo de empresa que contratará você. E saiba: você não vai só dirigir, mas também cuidar do veículo.

Em todos os casos, o motorista deve ser discreto, respeitoso e cordial — numa empresa não seria diferente. Por isso, além de competente, você deve ser confiável, honesto e responsável. Pontualidade também é uma característica comum a todas as categorias de motoristas.

Mas você deve se lembrar de que, ao dirigir um carro de empresa, você a representa. Por isso, suas atitudes no trânsito podem ter consequências pra toda a corporação.

Como tem contato direto com as pessoas que se relacionam com a empresa, você deve se vestir adequadamente, quando não houver uniforme, e se comportar também de acordo, de forma educada e prestativa.

Por fim, as empresas têm priorizado a contratação de profissionais que já tenham cursos de capacitação e experiência na função. Então, se quiser seguir essa carreira, é bom investir nos estudos, que podem ser relacionados, inicialmente, à direção defensiva, à segurança, à mecânica e aos primeiros socorros, por exemplo.

4. Caminhoneiro

Quem quer desafios maiores deve buscar veículos maiores pra dirigir. Se esse é o seu caso, que tal trabalhar como caminhoneiro? Aqui valem as mesmas vantagens dos motoristas de carros particulares ou taxistas quanto à flexibilidade, caso você seja autônomo. A diferença é que você poderá trabalhar na estrada, o que abre ainda mais as chances de conhecer pessoas e lugares novos.

Aliás, é esse o benefício que costuma atrair mais as pessoas pra essa profissão. Mas nem tudo são flores nas estradas brasileiras. Há também buracos, infraestrutura ruim e falta de segurança em algumas das principais rodovias do país. Portanto, é preciso cuidado, atenção e muita disposição.

O motorista de caminhão também deve saber que não vai só dirigir: ele também carrega e descarrega o veículo, dorme em locais nem sempre confortáveis e passa dias e noites longe de casa e da família.

Uma forma de se defender nesse mercado tem sido tornar-se caminhoneiro agregado de uma transportadora. Você não será empregado da companhia — o veículo é seu e você ainda será autônomo. Mas essa parceria com a empresa garante que você será chamado para a prestação de serviços. É uma chance de conseguir planejar melhor o quanto você vai ganhar por mês, por exemplo. Mas lembre-se: os custos do caminhão são por sua conta nessa modalidade.

Por outro lado, você tem uma garantia de que terá serviço e segurança financeira, pode fazer seus horários e escolher suas folgas, cobrar um pouco mais, já que as empresas não têm que pagar os encargos de um funcionário, entre outras vantagens.

Pra ser caminhoneiro, você deve começar tirando a carteira de habilitação profissional nas categorias previstas pra essa classe: C, D e E. Também é importante fazer cursos de capacitação. Por exemplo, se for carregar produtos tóxicos, tem de ser treinado pra esse trabalho. Por fim, você deve fazer o registro na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

5. Motorista de ônibus

Quer conhecer um mercado que está precisando de mais profissionais, pois tem sofrido com déficit de pessoas querendo atuar nessa área? Então, procure por empresas de transporte coletivo urbano. Trabalhar como motorista de ônibus municipal é uma profissão que está em alta — há municípios em que as empresas têm investido pesado em propaganda pra conseguir contratar.

Por causa dessa falta de gente pra trabalhar, as empresas têm até melhorado os benefícios oferecidos, como jornadas menores de trabalho, salários mais competitivos etc. Esse é o tipo de carreira que tem exigido menos dos profissionais. Na maioria dos casos, é preciso ter apenas o ensino fundamental.

Uma vantagem de trabalhar nesse segmento é que as empresas de transporte coletivo costumam oferecer aos seus funcionários diversos cursos de capacitação, que vão desde leis de trânsito a atendimento, primeiros socorros e direção defensiva.

Mas atenção: se há falta de profissionais pra atuar nessa área, tem um motivo! Trabalhar como motorista de ônibus pode ser estressante, principalmente nos grandes centros, em que a pessoa tem de lidar com congestionamentos, situações desagradáveis com passageiros dentro do veículo e até casos de violência.

Se, mesmo assim, você optar por essa área, é preciso ter, minimamente, o ensino fundamental completo, além da carteira de habilitação com categoria D e, claro, mais de 18 anos de idade. Entre as suas habilidades, deve estar o bom relacionamento com outras pessoas, cordialidade, tranquilidade e capacidade pra agir em momentos de tensão ou sob pressão.

Você também pode tentar trabalhar nas empresas que fazem as linhas intermunicipal ou interestadual. Nesse caso, vale gostar de viajar e até ter disponibilidade pra trabalhar de madrugada, pois muitas viagens ocorrem durante toda a noite.

6. Empresa própria de fretados

Pra quem tem disponibilidade de abrir um negócio, ser motorista também pode ser vantajoso. Isso porque as empresas de fretamento têm conseguido cada vez mais espaço, principalmente nos municípios em que há problemas de mobilidade urbana. Isso porque as pessoas que trabalham longe de casa estão buscando alternativas de transporte com comodidade. Além disso, as empresas estão terceirizando esse serviço pra economizar.

Dados da Associação Nacional de Transporte Público (ANTP) apontam que, em São Paulo, por exemplo, 39% das pessoas deixariam o carro em casa e o trocariam por um ônibus fretado. Fica claro que o fretamento ajudaria a reduzir os congestionamentos nas grandes cidades. Por isso, dependendo de onde você mora, vale a pena investir nesse tipo de negócio.

Há dois tipos de transporte fretado. O primeiro é o eventual. Nesse caso, a empresa que oferece o serviço é contratada pra eventos pontuais: um passeio turístico, cultural ou religioso ou, até mesmo, pra levar alunos de uma escola pra uma atividade extracurricular fora da instituição.

O segundo tipo de fretamento é o chamado contínuo, que pode ser, por exemplo, o transporte contratado por uma empresa pra levar seus funcionários. A vantagem em relação ao transporte coletivo vai desde a economia até a garantia de que os trabalhadores vão chegar em segurança e no horário.

Pra ter uma empresa de fretamento, o motorista deve ter a carteira de habilitação da categoria D. Além disso, deve buscar licenciamento na prefeitura, se for trabalhar dentro do município, ou junto à secretaria estadual de transportes, caso vá fazer trajetos intermunicipais.

Outra particularidade é que os veículos devem ter lugar para, no mínimo, nove pessoas. Ônibus podem ter, no máximo, 15 anos de uso. Já as vans devem ter até dez anos de idade. Você deve estar atento, também, à acessibilidade pra pessoas com deficiência, às condições de segurança do veículo e aos pontos de embarque e desembarque das pessoas que transportará.

7. Transporte escolar

Nossa última dica sobre as principais opções de trabalho como motorista é um tipo de negócio que provavelmente sempre terá clientes: o transporte escolar. Esse é também um tipo de fretamento, mas preferimos separar em outra categoria porque trabalhar com crianças exige habilidades e cuidados especiais.

Esse é o tipo de trabalho que já existe há muitos anos, mas é cada vez mais valorizado, já que pais e mães cada vez menos têm tempo para o deslocamento das crianças entre a casa e a escola. A opção mais prática e segura é a contratação de uma empresa de transporte escolar, que tem a responsabilidade de pegar e deixar os estudantes no horário certo e em segurança.

Por causa desse compromisso com os pais, os motoristas de vans ou ônibus escolares têm obrigações e leis específicas para seguir. Os veículos, por exemplo, devem estar identificados nas laterais. Além disso, o Código de Trânsito Brasileiro determina que todos os assentos devem ter cinto de segurança e ninguém pode ser transportado de pé.

Outra regra importante: o veículo precisa ter, obrigatoriamente, um equipamento que registra a velocidade e o tempo de percurso durante todo o trajeto, sem interrupções e sem possibilidade de alteração. Todos os itens de segurança e equipamentos obrigatórios devem ser inspecionados a cada seis meses pelo órgão de trânsito.

Para ser motorista desse tipo de transporte, é preciso ter mais de 21 anos de idade, ter carteira de habilitação com a categoria D e não pode ter cometido infrações graves ou gravíssimas no último ano. A pessoa que escolher essa profissão também precisa fazer um treinamento específico pra essa categoria. Por fim, o exame psicotécnico é especial pra atividade.

Mas a lista de exigências ainda não acabou: você deve apresentar certidão negativa da polícia, comprovando não ter cometido crimes. O documento deve ser reapresentado a cada cinco anos à prefeitura da sua cidade.

Esse é um trabalho que exige o respeito e a confiança dos pais e responsáveis pelas crianças. É no começo do ano que a maioria dos contratos são feitos. A ideia é que se cobre um valor por ano, parcelado em 12 vezes, assim como fazem com as mensalidades escolares.

Vimos que há muitas opções para quem está decidindo tornar-se motorista. A maioria delas, como os profissionais que atuam para aplicativos de mobilidade, oferece vantagens, como flexibilidade de horários, aumento da renda, autonomia e mais tempo para decidir como quer viver sua vida — seja ao lado da família, estudando, viajando ou qualquer outra atividade que você queira.

Agora que você conhece todas as principais alternativas para trabalhar como motorista, avalie o seu perfil profissional e veja qual delas combina mais com seu estilo de vida. Após isso, descubra que diferenciais você poderá oferecer aos seus passageiros e faça um planejamento para organizar a sua vida financeira.

Se você achou que este artigo foi útil para ajudar a decidir quais vão ser os rumos da sua profissão e esclarecer que trabalhar como motorista pode ser uma solução para quem quer mudar de vida, compartilhe essa ideia com seus amigos!

Seja um Motorista
Compartilhe nas redes sociais:
Deixe um comentário