VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
Quatro Rodas

Saiba como encontrar um mecânico de confiança em 8 passos

Você decidiu trabalhar como motorista, escolheu um bom carro pra atender bem aos seus clientes, com conforto e segurança, e já está nas ruas há algum tempo, habituado às facilidades que o aplicativo para motoristas oferece. Mas sabe: estar nas ruas todos os dias é uma verdadeira caixa de surpresas! Desde as chuvas, que trazem mais passageiros, até congestionamentos provocados por acidentes, tudo pode interferir no seu dia a dia a partir de agora.

Uma das situações que podem ocorrer é um defeito no veículo, que pode surgir repentinamente, mesmo se você fizer a manutenção preventiva. Nessas horas, é importante saber o que fazer rapidamente pra que você não perca muitos dias de trabalho — e, por consequência, não consiga manter os seus ganhos conforme planejado. Por isso, você deve ter na manga um mecânico de confiança.

Na verdade, o ideal é que você conheça pelo menos dois deles, pra garantir que será atendido com a velocidade e a qualidade de que precisa pra voltar logo à ativa. Neste artigo, separamos oito dicas que vão ajudar você a escolher o profissional certo pras horas de apuros. Continue conosco!

1. Analisar a satisfação com a oficina em sites de queixas do consumidor

Você, que ainda não tem um bom mecânico de confiança, deve começar a sua busca pela internet. Isso mesmo! Lá você vai descobrir quais são aqueles que estão mais próximos dos seus trajetos rotineiros. Porém, mais importante do que isso, é levantar a ficha da oficina nos sites de reclamação, como o Reclame Aqui.

Se, ao jogar o nome do mecânico no buscador, você não encontrar queixas sobre ele, é um bom sinal! Afinal, é muito mais fácil aparecerem críticas do que elogios na web, não é mesmo? Mas nem sempre as oficinas menores, aquelas de bairro, estarão presentes nesse ambiente. É aí que entra a nossa segunda dica!

2. Buscar a opinião de amigos e conhecidos

O boca a boca, nessas horas, vale mais do que qualquer outra apresentação. Portanto, procure referências sobre o mecânico. Converse com amigos que têm carros e, especialmente, com outros motoristas profissionais, com mais experiência do que você. Certamente eles conhecem mais oficinas — das melhores às que oferecem o pior atendimento.

3. Conversar com o mecânico antes de deixar o carro na oficina

Depois que você já pegou todas as referências e decidiu por uma oficina, é hora de falar pessoalmente com o mecânico que vai trabalhar no seu carro. Mas, mesmo que você tenha recebido a indicação de um amigo, é preciso que você confie no profissional. Por isso, é bom conversar com o mecânico, explicar quais são os problemas apresentados, detalhar os defeitos.

Assim, você pode observar as reações dele ao que está sendo falado, cruzar informações com as pesquisas que fez previamente etc. Também é hora de perguntar tudo, sem se preocupar com os nomes complicados que possam surgir. Se o mecânico responder a tudo com segurança e passar um orçamento condizente com o que você imaginava pagar, então é hora deixar o veículo no local.

4. Observar o funcionamento da oficina

Uma oficina não é o lugar mais limpo do mundo, mas deve estar, pelo menos, bem organizada. Esse é um dos critérios que você pode utilizar pra avaliar se ele entrará na sua lista de mecânicos de confiança. É importante perceber se as ferramentas estão jogadas pelo chão ou se há uma sala de espera limpa e confortável pro cliente.

Se encontrar peças velhas jogadas pelos cantos, desconfie! Ninguém quer que elas sejam instaladas no seu carro, certo? Também vale checar se o mecânico usa proteção pra não sujar os bancos do veículo enquanto faz os reparos: afinal ele deve estar em condições de uso pro próximo passageiro!

5. Conferir a origem das peças usadas no seu carro

Sempre que houver necessidade de trocar peças no seu veículo pra consertar o defeito, peça ao mecânico que indique a origem delas. Além disso, exija a nota fiscal dos produtos fornecidos. Deixe claro que você quer que sejam usadas peças originais de fábrica ou aponte ao profissional qual a marca que você deseja que seja usada.

Se achar que a oficina não vai usar as peças de acordo com a sua exigência, você mesmo pode comprá-las e levar pra que o mecânico faça a substituição. Mas, nesses casos, você provavelmente vai perder a garantia pela prestação do serviço.

Por fim, ao término do trabalho, peça a ele que devolva as peças que foram repostas, assim você evita pagar por uma nova e levar no veículo uma usada. Fora isso, você pode ter um diário de tudo o que foi feito em seu carro, o que ajuda a valorizá-lo no momento da venda.

6. Fazer um teste de honestidade

Ouvimos tanto falar em situações em que o mecânico é desonesto que não custa nada fazer um teste simples pra avaliar a sua credibilidade. Por exemplo, se você sabe que trocou o óleo recentemente ou as pastilhas de freio, peça pra ele checar as condições desses itens. Se a resposta não for a que você espera, já sabe: melhor trocar de oficina imediatamente!

7. Comparar valores

Quando tiver o orçamento da oficina escolhida nas mãos, antes de aprovar, é sempre bom dar uma conferida nos preços cobrados. Compare o valor apresentado pra troca de peças com outros lugares e, até mesmo, na internet. Valores mais altos vão fazer você pensar se a qualidade e a confiança nesse mecânico valem a pena.

Mas preços muito baixos, completamente diferentes dos cobrados pelo mercado, podem ser um sinal de alerta! Isso pode indicar que as peças não são novas ou originais. Pra garantir que não vai ser enganado, peça pra ver as embalagens e fique de olho no serviço, conferindo tudo no final!

8. Usar a tecnologia a seu favor

Por fim, pra você que trabalha usando aplicativos para motoristas, saiba que há um novo app que pode ajudar você a perceber quais são os problemas apresentados pelo carro e descobrir um bom mecânico que possa resolvê-los. Pra isso, você deve comprar pela internet o dispositivo Engie e instalá-lo embaixo do painel do veículo. Depois, baixar o aplicativo e conectá-lo.

O dispositivo vai fazer uma varredura no seu veículo, monitorando a bateria, o consumo de combustível e outras informações. Quanto mais você usa o carro, mais dados ele vai buscar. Se houver algum problema, ele faz o diagnóstico. Assim, quando chegar ao mecânico, você já tem uma ideia do que está acontecendo. Assim como o Waze faz com os postos de combustível, o Engie realiza cotações com as oficinas mais próximas, em tempo real.

Viu como é possível encontrar um mecânico de confiança e evitar gastos desnecessários? Quem trabalha como motorista deve ter esses contatos em mãos para não perder tempo quando precisar de ajuda profissional.

E você? Tem mais alguma dica sobre como escolher bem o mecânico? Conte pra gente nos comentários!

Compartilhe nas Redes Sociais!

Vida de Motorista

Comentários (0)
* Nome é obrigatório
* E-mail deve ser válido
* Comentário não deve ser vazio