VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
Dicas

Saiba como minimizar o desgaste do veículo com 6 passos

Você que trabalha como motorista autônomo sabe bem que o desgaste do veículo é muito maior quando usado como ferramenta de trabalho. Além de rodar o dia inteiro por toda a cidade, alguns descuidos ou hábitos na direção podem causar problemas nos veículos e resultar em gastos ainda maiores.

A boa notícia é que existem práticas que podem prolongar a vida útil dos componentes do seu carro e, consequentemente, aumentar seu lucro dando aquela aliviada no seu bolso. Quer saber quais são elas? Então, continue a leitura pra conferir 6 passos de como minimizar o desgaste do veículo!

1. Manter os pneus calibrados

Se você é uma daquelas pessoas que sempre enrolam pra calibrar os pneus, temos dois motivos convincentes pra mudar essa atitude: pneus descalibrados danificam as peças, e ainda produzem um gasto muito maior com o combustível (que anda cada vez mais caro!).

Calibrar os pneus é uma tarefa bem simples! Basta digitar o calibre certo na bomba de ar, tirar a tampa da válvula, encaixar a mangueira e aguardar o sinal do aparelho indicando a finalização do procedimento. Pra saber a pressão correta, é necessário consultar no manual do veículo ou procurar um adesivo com essa informação, que, geralmente, fica localizado na porta do motorista.

Ah, os pneus precisam estar frios quando for calibrar, certo? Isso porque percorrer grandes distâncias antes aumenta a pressão interna com a alta temperatura, influenciando na eficiência da calibragem. Portanto, rode no máximo 2 km até o local.

2. Fazer a manutenção preventiva em dia

Muitos problemas de desgaste do veículo podem ser evitados com a manutenção preventiva, inclusive pra escapar de ficar sem seu carro (ou seja, sem trabalhar) por algum período por falhas que poderiam ter sido identificadas antes de acontecer. Sem contar que afeta diretamente na segurança: pra se ter uma ideia, a falta de manutenção está relacionada a 30% dos acidentes no país, de acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto Scaringella.

As revisões normalmente são recomendadas a cada 10 mil km rodados, mas isso depende de cada carro. Por isso, dê uma olhada no manual do seu pra conferir! Abaixo, fizemos um checklist dos principais itens que devem ser verificados ou trocados na manutenção preventiva:

3. Trocar as marchas corretamente

Trocar de marcha é algo automático e simples pra quem passa boa parte do dia dirigindo, não é mesmo? O que muita gente não sabe é que, às vezes, essa troca é feita no momento errado pelo motorista, fazendo com que o carro faça mais força e, assim, gaste mais combustível.

Além do alto consumo de combustível, o desempenho do carro e a vida útil de todo o sistema também são afetados pela troca de marcha. A seguir, mostramos como e quando trocá-la corretamente, veja:

Vale ressaltar que essas são informações gerais e o momento certo de trocar as marchas pode variar de acordo com o veículo.

4. Não colocar tanto peso no carro

Quanto mais peso o carro carrega, mais esforço ele precisará fazer para o motor funcionar. Sendo assim, o gasto com gasolina e o desgaste com o veículo, como com os pneus, por exemplo, podem ser muito maiores. Nas zonas urbanas, onde as arrancadas mais bruscas são necessárias e que, provavelmente, são os locais onde você mais presta serviço, isso é ainda mais acentuado.

A cada 100 quilos a mais de peso, o carro pode consumir até 1 litro a mais, a cada 100 km rodados. Pensando assim parece muito pouco, não é mesmo? Mas, fazendo as contas de um longo período consumindo essa quantidade a mais de combustível, pode fazer uma grande diferença.

Acreditamos que você não vai encher seu carro com bagagens próprias, afinal, seus clientes muitas vezes precisam do porta-malas, mas é bom ficar ligado pra não cometer essa falha. Confira no manual do proprietário a carga máxima permitida!

5. Dirigir em velocidades moderadas

Sabemos que, nessa profissão, o velho ditado que diz que “tempo é dinheiro” faz muito sentido. Por isso, muitos motoristas vivem correndo com seus carros. O problema é que as altas velocidades acarretam maior atrito entre as partes móveis do veículo e, como consequência, gera um desgaste maior nas peças do motor, especialmente na suspensão, componente que pode ter um preço elevado pra consertar ou trocar.

Além disso, as altas velocidades fazem com que os motoristas façam várias frenagens bruscas durante as viagens. Depois de um tempo, o uso exagerado do freio pode comprometer todo o sistema, como as pastilhas e as lonas.

6. Abastecer em postos de procedência

Se tem uma coisa que gera dor de cabeça nos motoristas é quando falamos em combustível. Isso porque os preços estão nas alturas, e ainda é necessário lidar com a possibilidade de pagar por produtos adulterados — normalmente com querosene e água —, comprometendo o motor do veículo e aumentando o consumo de maneira considerável.

A melhor forma de evitar esse risco é abastecer nos grandes postos, que tenham selos visíveis nas bombas do Inmetro e da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Fique sempre de olho!

Viu como não é tão difícil evitar o desgaste do veículo? Além de economizar, você garante também mais segurança e satisfação dos seus clientes!

Falando nisso, neste post mostramos 9 frases essenciais ao pegar um passageiro. Vale a pena conferir pra melhorar ainda mais o atendimento ao seu cliente. Até a próxima!

Compartilhe nas Redes Sociais!

Vida de Motorista

Comentários (2)
* Nome é obrigatório
* E-mail deve ser válido
* Comentário não deve ser vazio
  • Wellington

    Só rodo no cartão crédito tá muito ruim de corrida isto é normal

    Responder

  • Albino Silva Borges

    Sempre bom lembrar bons conceitos para dirigir!

    Responder