VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
Quatro Rodas

O que você pode fazer para reduzir o impacto da alta da gasolina?

Quem depende do veículo pra trabalhar sabe que cada redução de custo é essencial pra fechar o mês sem entrar no vermelho. Por isso, é fundamental que o condutor saiba administrar os seus gastos com o carro e busque variadas formas de economizar, principalmente diante do impacto proporcionado pela alta da gasolina.

E, para os motoristas de aplicativo, esse fator pode pesar muito no orçamento, já que os seus lucros estão ligados diretamente a essa economia. Mas você sabe o que pode ser feito para reduzir esse impacto?

A seguir, vamos apresentar alguns cuidados importantes que você deve tomar pra amenizar os gastos nesse quesito e se resguardar dos prejuízos que este custo pode gerar, caso não exista um controle. Continue a sua leitura e saiba mais!

Entenda a precificação do combustível

Antes de buscar economia com o combustível, é importante conhecer o processo de precificação e saber como ele chega até você. De acordo com a Petrobras, o processo que determina o valor desses produtos é composto por três variáveis.

Preço nas refinarias

A parcela que remete à Petrobras é definida por uma política de preço próprio, a qual é independente do governo. Está diretamente ligada ao valor do dólar e ao custo do barril de petróleo no mercado internacional, já que parte do produto que é comercializado no Brasil é importado.

Taxas de impostos

No que diz respeito aos impostos federais, são aplicadas ao combustível as tributações referentes à Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) e ao PIS/PASEP e Cofins, correspondendo a 16% do preço da gasolina e 13% do diesel.

Quanto aos impostos estaduais — segundo a Petrobras —, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) tem um peso médio de até 29% no valor final da gasolina e de 16% no diesel. Com essa variação, acaba-se criando uma grande diferença de preço entre os estados.

Fora isso, outro fator que se soma a esses valores é a inclusão do custo com etanol anidro. Esse componente é misturado à gasolina A e possibilita a criação da chamada gasolina C, encontrada em quase todos os postos do país. A sua composição consiste em 73% de gasolina e 27% de etanol (por litro), o que gera um custo referente a 11% do valor total desse combustível. No que diz respeito ao diesel, há uma mistura de 10% de biodiesel em sua composição, gerando um custo de 7% no valor final desse tipo de combustível.

Distribuição e revenda

Depois de todos os processos anteriores, o produto chega até as distribuidoras e os postos, que calculam os custos operacionais da empresa somados ao preço pago pelo combustível, e repassam ao consumidor final, adicionando a sua margem de lucro.

Saiba como reduzir os custos

Agora que já foi mostrado todo o processo que leva o combustível até as bombas dos postos e como são aplicados os preços, é hora de conhecer alguns cuidados a serem tomados e medidas que podem ser aplicadas pra diminuir o impacto causado no orçamento com a alta da gasolina.

Utilizar combustíveis alternativos

Se você tem um automóvel modelo flex, uma das soluções é alternar entre a gasolina e o álcool, optando por aquele que proporcionar um maior custo-benefício no momento. Outra boa opção é o investimento em um sistema de conversão pra Gás Natural Veicular (GNV).

Apesar de ter um custo inicial em sua instalação, a economia que esse modelo oferece pode valer muito a pena no médio e longo prazo, pois, além de ter um preço geralmente mais baixo, o seu desempenho em relação ao álcool e à gasolina é superior.

Mudar a maneira de dirigir

Apesar de parecer meio insignificante, alguns detalhes no modo de dirigir fazem toda a diferença no desempenho do carro, impactando diretamente na economia do combustível. São práticas simples de serem adotadas, mas que vão trazer um alívio pro seu bolso futuramente. São elas:

Não levar peso desnecessário

Quanto mais cheio estiver o automóvel, menor será o seu rendimento. Cargas a partir de 10 quilos já são suficientes pra aumentar o consumo do motor, exigindo uma força maior pra mantê-lo em movimento. Isso demanda um envio maior de combustível e, consequentemente, um gasto mais elevado. Por isso, leve apenas o necessário no seu carro!

Fazer sempre o balanceamento e o alinhamento

Manter o alinhamento em dia evita o desgaste prematuro dos pneus. O balanceamento previne contra as trepidações que as imperfeições da estrada provocam e reduzem o atrito dos pneus com o solo, proporcionando um maior desempenho. Ah! Não se esqueça de manter os seus pneus sempre bem calibrados.

Estar com a manutenção em dia

Providenciar as manutenções pontuais do veículo evita que o motor consuma mais combustível, além de prolongar a sua vida útil. Alguns componentes — como as velas, os filtros de ar, o óleo e o combustível — sofrem com o desgaste natural e devem ser checados regularmente, sempre seguindo as recomendações informadas no manual fornecido pela montadora.

Moderar o uso do ar-condicionado

Manter o carro com as janelas fechadas pode auxiliar na sua aerodinâmica — principalmente em velocidades mais altas —, mas torna quase que obrigatório o uso do ar-condicionado. Isso eleva o consumo do combustível.

Por isso, use-o apenas em momentos de grande necessidade (ou quando o passageiro fizer questão de mantê-lo ligado, claro! Lembre-se sempre de perguntar antes de iniciar a corrida). A economia com a redução do uso do ar é maior se comparada à fornecida pela aerodinâmica do carro.

Usar a tecnologia a seu favor

Pra manter um controle maior e conseguir enxergar a diferença na prática, faça uso de tecnologias que auxiliam no monitoramento do consumo. Alguns automóveis têm computadores de bordo que fazem essa função de calcular o consumo médio e o que está sendo gasto de forma imediata.

Se o seu veículo conta com essa tecnologia, basta ler o manual e configurá-lo ou levar em algum profissional especializado. Caso não seja o seu caso, esses produtos podem ser facilmente encontrados em lojas especializadas, tanto físicas quanto na internet.

Seguindo essas sugestões e agindo de maneira consciente, fica muito mais fácil lidar com a alta da gasolina, não é mesmo? São medidas simples, mas que, quando praticadas de maneira correta, podem trazer muitos benefícios tanto aos componentes do seu carro (prolongando a vida útil) quanto pro seu bolso.

Gostou deste post e quer continuar acompanhando assuntos como este? Então, assine a nossa newsletter e receba as novidades em primeira mão!

Compartilhe nas Redes Sociais!

Vida de Motorista

Comentários (1)
* Nome é obrigatório
* E-mail deve ser válido
* Comentário não deve ser vazio
  • Anderson Miranda

    Vcs poderiam melhorar o preço da corrida em pelo menos 2 (dois) litros de combustível...as vezes a corrida não compensa devido a extensa kilometragem.

    Responder