VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
Quatro Rodas

O que é o sensor de rotação? Entenda sua importância!

Você sabe o que é e qual a função do sensor de rotação? Assim como qualquer outro componente do veículo, é essencial manter o cuidado e a manutenção em dia do seu carro.

E para quem trabalha como motorista de aplicativo, esse cuidado é ainda mais importante. Isto é, para quem tem o veículo como principal instrumento de trabalho, os cuidados com a manutenção não podem ser deixados de lado.

Tendo em vista a segurança dos passageiros, e do próprio motorista, é fundamental se atentar para manutenções preventivas. E isso inclui saber o que é o sensor de rotação, como ele funciona e como prevenir ou identificar possíveis problemas com o componente.

Pensando nisso, trouxemos um artigo completo para você entender tudo sobre o sensor de rotação do seu veículo e ficar por dentro da Vida de Motorista

Boa leitura!

O que é o sensor de rotação?

O sensor de rotação é um gerador de pulsos, que envia sinais digitais para a unidade de comando do motor do seu carro. Esses sinais são informações que auxiliam a unidade de comando a realizar a injeção de combustível.

A peça é um componente essencial do sistema de injeção eletrônica e, consequentemente, do automóvel como um todo.

Como o sensor de rotação funciona?

Muito bem, mas como o sensor de rotação funciona? Como destacamos, o componente encaminha algumas informações para a unidade de comando eletrônica. Dentre essas informações estão: rotação e posição do virabrequim. 

Assim, o sensor de rotação calcula o momento exato para que a injeção eletrônica seja feita. Para isso, a peça é constituída de um ímã permanente, além de uma bobina, colocada em torno do ímã.

A junção dos componentes compõem o indutor do sensor de rotação.

Possíveis problemas no sensor de rotação

Devido a sua importância, é comum que alguns problemas decorram de defeitos do sensor de rotação. Assim como qualquer outro componente, o sensor está sujeito a falhas.

Algumas das possíveis falhas são:

Falha de memória 

Essa falha acontece quando há um código de falha gravado na memória do componente.

Defeito no sensor do motor

Em alguns casos, a peça pode parar de funcionar abruptamente. Nesse caso, há uma falha no momento em que a injeção eletrônica deve acontecer.

Nessa situação, é comum que o motor comece a falhar em baixa rotação devido a quantidade de combustível necessário para o motor funcionar.

Além de saber quais são as possíveis falhas no sensor de rotação do veículo, entender como identificá-las também é importante. E lembre-se, após isso leve o carro até um mecânico de confiança e mantenha a manutenção em dia.

Identificando defeitos no sensor

Como deu para notar, o sensor de rotação possui uma importante função para todo o funcionamento do seu carro. Possíveis defeitos no sensor podem ocasionar o mau funcionamento de todo o veículo, especialmente do motor.

Sendo assim, é essencial saber não só quais são os possíveis defeitos no componente, mas também como identificá-los.

Resistência elétrica

Uma das formas de identificar defeitos no sensor de rotação é testando a resistência elétrica. Com um multímetro conectado aos terminais do sensor, é possível avaliar as condições dos fios da peça.

Apesar de prática, o teste não é totalmente conclusivo, e deve ser complementado com outras avaliações. 

Osciloscópio

Para complementar o tópico anterior, temos o teste com o osciloscópio. O instrumento avalia a amplitude e demais características do sinal, mostrando resultados do circuito do sensor. 

Assim o mecânico e motorista podem ter um resultado mais conclusivo, identificando com mais facilidade possíveis defeitos no componente. 

Da mesma forma, também vale fazer uso do scanner, além de se manter atento para a rotação, velocidade do automóvel e a velocidade da roda

Tensão da corrente alternada

Por fim, outro teste que pode auxiliar na avaliação das condições do sensor de rotação é o da tensão da corrente alternada. 

O teste também faz uso do multímetro, que é usado para avaliar a tensão da corrente alternada. Com isso, conectando-se aos terminais, é possível analisar se o sensor está enviando qualquer sinal para a unidade de comando.

Manutenção preventiva

Agora que você já sabe o que é o sensor de rotação, como ele funciona e como identificar defeitos na peça, vale destacar a importância da manutenção preventiva desse componente.

Assim como todo o veículo, o sensor necessita de cuidados constantes. E para isso, a manutenção preventiva é fundamental. Afinal, é com ela que você vai descobrir com antecedência se existe um defeito no sensor, evitando ficar sem rodar.

Quanto custa um sensor?

Após identificar o problema, o ideal é encaminhar o veículo para a devida revisão e manutenção. Em geral, o sensor tem um preço médio de R$ 80,00. 

O valor é bem acessível, já que a peça tem uma longa duração. Além disso, a mão de obra para a substituição do componente também não sai caro. Mas lembre-se de buscar sempre um especialista para realizar a troca.

Gostou do conteúdo? Agora você está preparado e já sabe como identificar e resolver possíveis problemas no sensor de rotação, não é mesmo?


Deixe seu comentário e confira outros artigos completos no nosso blog! Te esperamos lá =)

Compartilhe nas Redes Sociais!

Vida de Motorista

Comentários (0)
* Nome é obrigatório
* E-mail deve ser válido
* Comentário não deve ser vazio