VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
VIDA DE MOTORISTA
Quatro Rodas

Envelopamento automotivo: o que é e para que serve?

Se você quer dar uma repaginada no visual do seu carro ou aumentar a proteção da pintura original, mas não pretende gastar muito para isso, uma ótima saída é optar pelo envelopamento automotivo.

No entanto, a prática, que se iniciou nos Estados Unidos e agora ganha bastante espaço aqui no Brasil, ainda levanta dúvidas entre muitos motoristas, que se questionam até mesmo se não se trata de algo ilegal. 

Para esclarecer o assunto, preparamos este artigo completo para você, com os principais pontos sobre o envelopamento automotivo.

Boa leitura!

O que é o envelopamento automotivo?

O envelopamento automotivo consiste no processo de adesivagem do carro. Mas não estamos falando de adesivos básicos e sim de um trabalho profissional, cobrindo a pintura original do carro e trazendo uma renovação real.

Quais os materiais mais utilizados no envelopamento automotivo?

Os materiais utilizados para o envelopamento variam de acordo com o tipo de serviço aplicado.

Porém, os mais comuns hoje em dia são o vinil, que atende melhores critérios de textura e não manchamento, e o PVC, que torna o envelopamento mais barato.

Em geral, há três tipos de envelopamento automotivo, e são eles:

PVC Vinil

É o tipo mais comum de envelopamento, que utiliza uma película de PVC para mudar o visual do veículo.

As principais vantagens são:

Poliuretano

O envelopamento de poliuretano é mais indicado para quem deseja proteger a pintura original do veículo, e não necessariamente para uma mudança de visual.

O diferencial aqui é a grande resistência do material.

Envelopamento líquido

Esse é o tipo mais recente de envelopamento automotivo desenvolvido no mercado.

Feito a partir de uma tinta líquida específica, o serviço é indicado para quem deseja corrigir falhas de outros envelopamentos anteriores ou trazer mais proteção à lataria do veículo. 

Quais as vantagens e desvantagens de envelopar o seu veículo?

No geral, o envelopamento automotivo é considerado uma prática bastante vantajosa para o carro e para o bolso do proprietário. Mas é claro que existem pontos que devem ser levantados em consideração antes de tomar a decisão.

Entre as principais vantagens podemos citar:

  1. maior proteção da pintura original, evitando arranhões e desgastes;
  2. fácil remoção do adesivo, diferentemente de uma pintura;
  3. agilidade, gasta-se em média 3 dias para aplicação;
  4. variedade, com diversos modelos de adesivos; 
  5. custo baixo, comparado a uma pintura nova;
  6. não deixa mancha após a remoção.

Já a principal desvantagem concentra-se na necessidade de investimento contínuo. Dependendo da cor escolhida para o envelopamento, você terá que investir em um novo serviço em menos de 3 anos.

Outro ponto é que se você optar pelo envelopamento parcial, corre o risco de ter um veículo com duas partes diferentes, o que não é muito agradável esteticamente.

O preço do envelopamento automotivo varia de acordo com o fornecedor. Por isso, é importante avaliar os benefícios para entender se o serviço vale a pena para você.

Qual o valor do serviço e como fazer a manutenção do envelopamento automotivo?

O envelopamento automotivo é, em média:

Manutenção

Não é porque o envelopamento é feito para proteger o carro que não demanda cuidados especiais. Por isso, além de evitar arranhões e outros contatos desnecessários, você deve se atentar aos produtos na hora da limpeza.

A fim de garantir a durabilidade acima de 5 anos, evite materiais ácidos ou com composições agressivas no momento da lavagem. Opte sempre pelo sabão neutro e água.

O que diz a legislação sobre o envelopamento automotivo? É proibido?

Muitos proprietários pensam em envelopar seus veículos, mas desistem porque ficam na dúvida sobre a legalidade da prática.

Aqui no Brasil, é possível entender o que a lei diz analisando a Resolução 292 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

O artigo 3° dessa resolução diz que as modificações nos carros devem ser autorizadas pelos órgãos competentes, sob risco de pena pelo não cumprimento.

Já o artigo 14 define a “modificação” citada anteriormente. Segundo o trecho, é considerado modificação quando há uma área superior a 50% do veículo com uma nova pintura ou adesivagem.

Dessa forma, o envelopamento automotivo não é uma prática proibida. Porém, ao optar pela adesivagem completa do veículo, é necessário informar ao órgão de trânsito responsável na sua cidade.

Mas, isso é necessário quando a tonalidade do adesivo escolhido for diferente da cor original do veículo. Caso apresentem a mesma cor, não é preciso procurar o órgão de trânsito para incluir a informação ao CRV do seu veículo.

Enfim, para quem trabalha diariamente com o carro, como é o caso dos motoristas de aplicativo, o envelopamento automotivo é uma ótima maneira de proteger a pintura original e a lataria do automóvel.

Além de ser uma opção mais econômica, é também uma oportunidade de deixar o carro mais bonito para os passageiros. 

Gostou dessas informações sobre envelopamento automotivo? Deixe o seu comentário e confira outros conteúdos no nosso blog!

Compartilhe nas Redes Sociais!

Vida de Motorista

Comentários (0)
* Nome é obrigatório
* E-mail deve ser válido
* Comentário não deve ser vazio