]

Waze X Google Maps: veja quem ganha essa batalha

Waze ou Google Maps? Quem dirige com frequência já deve ter feito essa pergunta algumas vezes antes de decidir qual aplicativo usar. Em todo lugar, existem os fãs de um e de outro, mas hoje nós vamos mostrar que, nessa “batalha”, o campeão pode ser você!

Para um motorista, encontrar o melhor caminho até um destino é muito importante. Um trajeto rápido pode deixar o passageiro mais satisfeito e, principalmente, aumentar a sua produtividade e a quantidade de corridas feitas em um dia.

Por outro lado, segurança também é importante. Então, nem sempre pegar o caminho mais rápido é a melhor alternativa. Se essa rota obrigar você e o seu passageiro a passarem por lugares perigosos, é melhor pensar em outra estratégia.

Para alcançar esses objetivos — rapidez e segurança —, qual é o melhor aplicativo? É sobre isso que nós vamos falar hoje. Então, nada de desviar da rota! Continue a leitura do post e descubra a resposta!

Quais são as vantagens do Waze?

O Waze é muito mais que um mapa online ou um GPS tradicional: é um aplicativo social! Isso significa que, além do banco de dados a respeito de ruas e rotas, ele conta com a participação dos usuários para traçar o caminho mais curto ou mais rápido, de acordo com a sua configuração.

Então, o caminho que o Waze traça pra você depende muito da interação dos outros usuários. Se o aplicativo percebe que todo o mundo que está indo por um trajeto está em uma velocidade mais lenta, ele vai dar opções mais rápidas.

Além disso, os próprios usuários podem enviar informações para o aplicativo. Se eles sinalizarem que encontraram um bloqueio, engarrafamento, acidente ou obras, o Waze vai mandá-lo por um caminho alternativo, evitando transtornos.

O Waze também tem outros recursos interessantes. Veja só:

  • Automatização da mudança de rota, de acordo com os obstáculos que os usuários notificam;
  • Visualização das condições de tráfego no site do Waze;
  • Possibilidade de evitar pedágios, vias expressas, balsas e conversões difíceis, de acordo com a configuração que você escolher;
  • Sinalização de radares nas rodovias, além de alertas sobre limites de velocidade e o uso de faróis;
  • Compartilhamento de rota, o que pode ser interessante para quem dá caronas ou até por questão de segurança;
  • Interface mais moderna, com ícones mais divertidos, possibilidade de adição de amigos e personalização do perfil;
  • Possibilidade de alterar a voz do guia, que pode ser substituída pelas opções do aplicativo ou até pela sua!

Quais são as vantagens do Google Maps?

Já o Maps é um pouquinho diferente. Ele não é um aplicativo social, que nem o Waze. Nele, os usuários não conseguem lançar alertas mostrando problemas no trânsito, também. É uma via de mão única — ele dá a informação e o usuário recebe.

Mas por outro lado, o Maps tem recursos mais abrangentes, inclusive para quem nem está andando de carro. Ele, por exemplo, mostra as opções de transporte púbico para os cidadãos e até estimativas relacionadas a aplicativos de mobilidade.

Isso é uma boa para o motorista, mesmo que não seja ele quem está usando o aplicativo naquele momento. O Maps mostra para o passageiro quanto tempo ele levará para chegar a um lugar de carro, ônibus / metrô e trem, a pé, de bicicleta e de carro particular (99, Uber e Cabify). Assim, ele pode escolher a melhor opção.

Além disso, o Maps tem as seguintes informações:

  • Tempo estimado para um trajeto, baseado em dados do Waze e da CET;
  • Estabelecimentos comerciais e locais públicos no trajeto;
  • Simplicidade na interface (tela e comandos), o que ajuda usuários que não têm tanta familiaridade com aplicativos e tecnologias;
  • Rotas alternativas e o tempo estimado de cada uma delas;
  • Função de “salvar local de estacionamento”, que mostra aos esquecidinhos o local onde o carro foi deixado;
  • Consumo menor da bateria, quando comparado ao Waze;
  • Possibilidade de baixar rotas para navegação offline, reduzindo o consumo do plano de dados.

​Os dois aplicativos têm ainda outras funções, só que elas nem sempre são úteis para o motorista profissional.

O Waze, por exemplo, permite que o condutor veja os amigos que estão dirigindo para o mesmo lugar que você vai visitar, a distância a que eles estão e até a estimativa de chegada. Mas isso não é útil para o motorista de aplicativo durante o trabalho.

O mesmo acontece com o Maps, que tem recursos como o Street View, que nem sempre é usado por quem só quer saber qual é o melhor caminho até um determinado endereço.

Existe realmente uma competição?

Pra falar a verdade, tanto o Waze quanto o Maps são da mesma empresa — o gigante Google. Eles até usam bancos de dados compartilhados, o que faz com que a disputa esteja mais nas funcionalidades do que na eficiência.

Então, a questão nem é saber qual é o melhor. O que o motorista de aplicativo precisa descobrir é se, naquele momento, as funções de um ou de outro são mais interessantes para o objetivo que ele tem.

Para atender aquele passageiro apressadinho que precisa chegar logo em algum lugar, normalmente o Waze é a melhor opção. Ele vai fazer você desviar dos pedaços travados e vai mostrar quais são as alternativas mais rápidas em tempo real.

Já quem pensa muito na segurança, especialmente à noite, costuma usar mais o Maps. Você vê todo o trajeto antes e escolhe o que acha melhor, evitando que o aplicativo jogue você e o seu passageiro em uma “quebrada”!

Quais são as outras opções para o motorista?

Mas será que o motorista realmente só tem essas opções? Por enquanto, elas são as mais conhecidas, mas existem outras empresas do mercado que estão desenvolvendo aplicativos e soluções semelhantes.

Aliás, em um futuro próximo, talvez esses aplicativos nem sejam mais necessários. Com a Internet das Coisas e os carros conectados, a previsão é que toda essa troca de informações sobre o trânsito aconteça de outras formas.

A expectativa é de que, conforme os carros se tornam mais conectados, eles sejam capazes não só de identificar onde o trânsito está carregado e encontrar alternativas. Alguns especialistas dizem que os automóveis tomarão essas decisões sozinhos, conduzindo as pessoas pelo melhor caminho naquela situação.

Além disso, pense no seguinte: muitos motoristas têm um senso fantástico de direção. Eles podem olhar para o aplicativo, ver tudo travado e lembrar que eles conhecem um atalho perfeito, que nenhuma dessas ferramentas apontou. Então, existem também esses momentos, em que bom mesmo é confiar em si mesmo!

E aí, entendeu quando é melhor usar o Waze ou Google Maps? Gostou das dicas? Quer conhecer outros 13 aplicativos que não podem faltar no celular de um motorista profissional? Então, continue no blog e confira!

Compartilhe nas redes sociais:
Deixe um comentário