]

Será que realmente vale a pena ter GPS integrado?

A tecnologia GPS (Global Positioning System) foi criada com finalidades militares, mas, nas últimas décadas, se tornou extremamente popular entre motoristas. Com acesso a serviços baseados em geolocalização, é possível se situar na região, traçar rotas e economizar combustível. A demanda é tão alta que as montadoras já oferecem diversos modelos de carros com GPS integrado.

Mas, se smartphones já têm sistemas GPS embarcados, qual é a tecnologia mais vantajosa para os motoristas? É melhor adotar um GPS integrado ao painel do carro ou utilizar o próprio celular?

Neste artigo, explicaremos as vantagens e as desvantagens de cada um, para que você possa decidir qual a mais interessante. Continue a leitura.

O que é GPS integrado

Conveniência é a palavra de ordem do mercado automobilístico. A frota de carros no Brasil fechou o ano de 2017 com 65,8 milhões de unidades em circulação, segundo estudo do IBPT. Em média, o brasileiro passa o equivalente a 4 anos e 11 meses de toda a sua vida dentro de um automóvel.

Motoristas profissionais, além de passarem de 10 a 12 horas por dia dirigindo, precisam de uma ajuda extra pra se orientarem dentro de grandes cidades. Nem sempre dá pra confiar apenas na memória; é preciso chegar ao destino solicitado pelo cliente sem atrasos.

Para atender às exigências desses públicos, as montadoras passaram a disponibilizar centrais multimídia integradas aos painéis dos veículos. Alguns modelos apenas espelham a tela do celular por meio de uma conexão bluetooth, outros contam com um GPS próprio.

O GPS integrado é uma tecnologia que pode vir como adicional tanto em carros populares quanto em modelos mais caros. Apesar de aumentar o custo do veículo — e as prestações do financiamento —, o dispositivo agrada a alguns motoristas, sobretudo pela praticidade de ter um sistema de geolocalização discreto e eficiente ao alcance da mão.

À primeira vista, a única diferença entre o sistema de navegação que vem de fábrica e celulares equipados com aplicativos de navegação é o custo. Mas existem outras variáveis a serem consideradas. Confira algumas delas abaixo.

Vantagens e desvantagens do GPS integrado

Vantagens

Visual limpo

Com o sistema de navegação integrado ao painel de maneira padronizada, o motorista não precisa se preocupar em adquirir suportes externos. O GPS integrado se ajusta perfeitamente ao visual do carro e evita a parafernália de fios e cabos que pode, inclusive, atrapalhar a condução.

Sistema integrado

A integração não é apenas visual. O aparelho é capaz de calcular diversas variáveis, como velocidade do carro, localização no mapa e tempo pra chegar ao destino. Alguns modelos contam também com sistemas de reconhecimento de voz; assim, você pode emitir comandos sem precisar mexer na tela.

Não precisa recarregar

Uma das principais vantagens do GPS integrado é que o condutor não precisa conectá-lo a uma fonte de alimentação externa. O uso de aplicativos dessa natureza, em conjunto com o acesso à internet móvel, drena rapidamente a bateria do smartphone — um problema com o qual você não precisa se preocupar, caso utilize o navegador de fábrica.

Segurança

Veículos em que os aparelhos são afixados em suportes no para-brisas costumam ser mais visados por criminosos, que podem tentar furtar apenas os dispositivos em um momento de distração do condutor. Mas preste atenção: apesar de o GPS integrado ser mais discreto, evite gravar o endereço da sua casa ou do trabalho na memória digital.

Valor de revenda

Carros com navegadores de fábrica podem ser, naturalmente, negociados a um valor maior na hora de revender. Enquanto adicionais como travas e vidros elétricos e ar-condicionado são praticamente requisitos básicos, o GPS integrado é um item que pode agregar valor ao veículo.

Funcionamento offline

Os mapas são gravados na memória do GPS, portanto não é necessário se preocupar com conexão à internet durante a condução. Se você mora no interior ou viaja com frequência a regiões remotas, essa é uma vantagem que pode pesar na sua decisão. Por outro lado, o dispositivo integrado offline não mostra as condições do tráfego em tempo real.

Desvantagens

Preço

Uma das principais críticas ao GPS integrado refere-se ao alto custo que ele adiciona ao valor do veículo. Dessa forma, as parcelas do financiamento, que trazem uma maior carga de juros por conta do preço a mais, podem ficar salgadas.

Privacidade

A comodidade tem um preço: seu carro se torna praticamente um Big Brother sobre rodas. Embora não se tenha notícias sobre centrais multimídias gravando conversas em áudio e vídeo dentro dos veículos, grandes montadoras já admitiram que guardam dados sensíveis coletados nas viagens. Sabem, inclusive, quais motoristas cometeram infrações de trânsito e quando.

Em geral, esses dados são utilizados pra melhorar a prestação de serviços e não acarretam maiores problemas aos proprietários. Mas os desconfiados de plantão podem ficar com um pé atrás.

Atualizações pagas

Para atualizar os mapas e rotas em um GPS integrado, é necessário adquirir os dados e transferir com o uso de cartão de memória ou DVD. No caso de alguns veículos, essa atualização deve ser feita em uma concessionária autorizada em um procedimento que pode ser demorado. Tudo isso pesa no bolso do motorista profissional, tanto pelo custo da atualização quanto pelo tempo em que o carro fica parado.

Alto custo em consertos

Caso um GPS integrado apresente defeitos fora do prazo de garantia, o proprietário precisará arcar com um alto custo pra consertá-lo em uma concessionária autorizada, uma vez que a substituição é impraticável. Na pior das situações, ele terá uma tela sem uso no painel do carro.

Vantagens e desvantagens dos aplicativos

Vantagens

Preço

Há aplicativos gratuitos que oferecem bons serviços a partir da tecnologia GPS, a exemplo do Waze e do Google Maps — que mostram a situação do tráfego atualizadas. Também há opções pagas, como o app da TomTom, embora o custo seja bem inferior quando comparado ao GPS integrado.

Atualizações em tempo real

Com acesso à internet móvel, é possível ajustar o trajeto pra evitar pontos de tráfego intenso, engarrafamentos e vias congestionadas, economizando tempo e combustível na viagem. Essa é uma boa vantagem pra motoristas que trabalham por meio de aplicativos. Outro benefício é a atualização gratuita e quase instantânea.

Integração bluetooth

Caso seu carro tenha uma central multimídia, é possível estabelecer uma conexão bluetooth com aparelhos móveis pra executar músicas, atender ligações e navegar com o GPS do smartphone. A Apple e o Google oferecem soluções nativas, o CarPlay e o Android Auto, respectivamente.

Conveniência

Com o smartphone, além de se orientar pelo GPS, você pode acompanhar outras tarefas como, por exemplo, receber um lembrete que cadastrou na agenda pra levar um cliente. Essa vantagem deve ser acompanhada da cautela prudencial de evitar dividir a atenção durante a condução.

Desvantagens

Visual poluído

Para ter fácil acesso e ficar no campo de visão do motorista, o celular precisa ser colocado em um suporte afixado ao para-brisas, o que não costuma ser visualmente agradável. Além disso, o painel deve ter uma entrada USB pra que o aparelho não descarregue durante o trajeto, o que aumenta o desconforto visual.

Consumo de bateria

Rodar um aplicativo de GPS, que requer internet móvel, durante um longo período, pode fazer com que a bateria do seu dispositivo acabe rapidamente. Mesmo que você confie na memória, se o carro apresentar defeito, você ficará impossibilitado de ligar para o seguro automotivo e terá de enfrentar uma situação delicada — especialmente se estiver com um passageiro.

Distrações

Com o celular conectado à internet, o motorista pode acabar inundado por atualizações de redes sociais, WhatsApp e outros aplicativos. A desatenção no trânsito pode ser fatal, portanto silencie os apps que mais incomodam durante o trajeto.

Dependência do sinal de internet

Se o seu pacote de dados acabar no meio de uma viagem, talvez a navegação continue funcionando. Mas, nesse caso, pode esquecer as atualizações em tempo real.

Para a maioria dos condutores, ter um GPS integrado pode não ser a melhor dentre as opções disponíveis no mercado. Um motorista profissional, por sua vez, tem demandas diferentes: além de passar longas horas dirigindo, ele deve ser cauteloso com rotas e horários, ter um carro com aparência limpa e organizada e seguir trajetos precisos sem depender do plano de internet. Nesse caso, o GPS integrado é uma alternativa a ser considerada.

Mesmo que você use um GPS integrado, aplicativos são indispensáveis na vida do motorista profissional. Conheça 13 apps que não podem faltar no seu smartphone.

Seja um Motorista
Compartilhe nas redes sociais:
Deixe um comentário